2008-01-31


Hoje à noite é de não perder O Nariz, de Nikolai Gogol, lido por Jorge Silva Melo, às 21h30m no café-concerto do Fórum

2008-01-27

Foi ontem inaugurado o Núcleo Museológico da Baixa da Banheira. Situa-se na Rua José Vicente (um nome grande da cultura banheirense), e o evento englobou-se nas comemorações do 41º aniversário da criação da Vila da Baixa da Banheira.

Custa-me voltar a um assunto já mais que batido, mas para quem parece que não sabe, é na Baixa da Banheira, Concelho da Moita. É que apesar de este ser um concelho pequeno, ainda são cerca 6,3 Km, segundo o Google Maps,


e 6,5 Km segundo o Via Michelin.

Quem me dera, às vezes, ser uma mosquinha!

Gostava de saber como é que a REFER, arrenda as linhas de comboio para Lisboa.
Parece que estou a ver!!! enquanto CP diz que dá 100.000 euros mensais, a FERTAGUS (que gasta muita gasolina), para não perder a linha, diz que dá 200.000 euros com direito a exclusividade, nem que para isso aumente o passe em 5 euros aos utentes. Válha-nos esta livre concorrência, que dá o exclusivo do transporte da ponte só a uma das partes e que beneficia tanto, quem trabalha em Lisboa. enfim, se calhar é só o meu mau feitio, e se calhar o aumento no passe serve para aumentar os ordenados dos quadros médios e baixos da empresa.

2008-01-22







Manifestação contra o aquecimento global em Annapolis, Maryland, perto de Washington.

O filme “fados”, realizado pelo espanhol Carlos Saura, dá-nos uma visão abrangente e externa, sobre a canção nacional de maior referência internacional, pois se existe em Portugal um estilo musical que mais caracteriza o seu povo dentro e fora de “portas”, é o Fado.
Com este filme Carlos Saura, demonstrou a sua subjectividade em relação ao Fado. Conhecedor de poucos fadistas, ao longo destes três anos em que esteve envolvido neste projecto, foi descobrindo outros e procurou saber mais sobre as origens do fado. Com a sua experiência profissional feita essencialmente em musicais, notou-se a importância que o som obteve em relação à imagem. Elaborou cenários simples, feitos de jogos de espelhos, luz e telas, montadas em palcos, nos quais, não faltaram o acompanhamento coreográfico dos bailarinos. Procurou dar movimento aos sentimentos do fado, transpondo-o para a dança, na qual diz “se veio do Brasil, há possibilidade de ter existido no seu passado como dança”. Globalizou o fado, unindo os ritmos das raízes do sentimento português através de formas musicais de culturas irmãs, como a brasileira, a africana e hispânicas, onde diz haver um espírito parecido. Daí que o filme se chame fados e não fado, porque existe muitos fados baseados no mesmo sentimento.
O filme “fados” assinala um marco na nossa cultura. Penso que as únicas vezes que vi um filme sobre fado ainda seria a preto e branco da época de ouro do cinema português. De início fiquei surpreendido com o formato do filme, feito por planos mas, conseguiu-me agarrar, não só pelo excelente som, como pela a imagem, que embora simples, era agradável. Percebi a escolha do formato, que tinha como objectivo desmontar o fado e montá-lo de diferentes formas, como se de uma ferramenta multifacetada se tratasse. Esta “plasticidade” do fado servia para o fundir noutras formas de música ou dança que mais não eram que uma expressão dos mesmos sentimentos. O positivo é que no centro destes sentimentos a estrela era o nosso fado, e será com esta ideia “fado”, que quem ouve e gosta, vai procurar saber mais. É pena que o filme tenha apenas uma hora e meia, podiam ter aparecido outras grandes vozes que nós temos. Mas gostei muito do facto de terem dado oportunidade a fadistas totalmente desconhecidos do grande público. Estas pessoas tinham não só o talento na voz como uma imagem física representativa da multiplicidade de indivíduos que vivem o fado, e isso também é riqueza cultural.
No final do filme, com a imagem da Mariza a dizer, “Ó gente da minha terra”, lembrei-me da sua origem moçambicana, saí e fiquei com uma sensação de orgulho de ser português reforçada… não por uma questão nacionalista… mas porque faço parte de um povo heterogéneo, capaz de se fundir noutros e fazer disso a sua riqueza.

Aqui, poderá ouvir a música de homenagem a Alfredo Marceneiro, protagonizada no filme por NBC e SP & Wilson

2008-01-20

Esquina da Rua 1º de Maio com a Rua de Trás-os-Montes

Mais uma excelente iniciativa dos Amigos da História Local! Desta vez, convidam-nos a assistir a uma Palestra, dinamizada pelos arqueólogos Tiago do Pereiro e António Gonzalez, sobre a Pré-História local, em particular o período mais remoto do Paleolítico. O Tiago vai também demonstrar como se talhava a pedra e fazia fogo nesses tempos remotos dos nossos antepassados.

Palestra
À DESCOBERTA DO PALEOLÍTICO NO VALE DA AMOREIRA

Sábado, 26 JANEIRO 2008, 15:00h
Auditório da Junta de Freguesia do Vale da Amoreira

2008-01-15


SAAL

Para quem quiser perceber mais a fundo como foi gerida a arquitectura no 25  de Abril!
http://www.uc.pt/imprensa_uc/catalogo/arquitectura/processo


Para quando houver mais tempo fica uma leitura de um outro estudo: Plano Integrado para o Novo Aeroporto de Lisboa, Rede de TGV e Terceira Travessia do Tejo
No primeiro intervalo do programa Prós e Contras da RTP comecei a dar uma vista de olhos muito rápida ao estudo do LNEC, e que espero ter tempo nos próximos dias para ler com mais atenção, mas atrevo-me a transcrever algumas linhas contidas no capítulo 5.5.5 Directrizes e Recomendações, mais especificamente, algumas das Orientações Específicas para a opção CTA.

A concretização do NAL no CTA só não terá danos irreparáveis para o ordenamento e salvaguarda do território da Península de Setúbal e áreas agrícolas e florestais que se estendem a leste, se forem implementadas medidas de rigoroso controlo do uso do solo:

. Não permitir qualquer intervenção urbanística ou construções que não sejam de estrito uso agrícola, além da área do aeroporto num raio de 20-25 km.

. Favorecer a canalização das actividades induzidas para os centros urbanos que se localizam na circunferência de aproximadamente 25 km do centro da infra-estrutura aeroportuária: Benavente (25), Coruche (26), Vendas Novas (24), Palmela (25), Moita (27), Montijo (24), Alcochete (22).

. Particular atenção deve ser conferida ao controlo de áreas de pequenas explorações agrícolas, como as resultantes da antiga Colónia Agrícola de Pegões, de elevado valor produtivo, mas muito frágeis face a pressões especulativas. Hoje é já patente o processo destrutivo, com a ocorrência de mini loteamentos (ilegais?) e a implantação de construções para usos não agrícolas. Em idêntica situação de fragilidade estão povoamentos dispersos resultantes de processos de aforamento agrário, como Taipadas, Faias, Foros do Trapo.

. Canha, a 7 km do CTA é o único pequeno centro com coerência urbana que poderá ancorar algumas funções de proximidade, nomeadamente residenciais

. Numa perspectiva de recuperação de espaços com centralidade física, mas muito desordenados, a obrigar a intervenções temos: Cruzamento de Pegões/12 km do CTA, Passil (17 km) e Porto Alto (20 km).

Mas o principal conjunto de medidas deve visar a salvaguarda integral dos valores naturais únicos. Assim, deverá ser criada uma vasta área de reserva integral, com múltiplas valências, com enquadramento legal e plano de ordenamento e de gestão adequados, abrangendo nomeadamente: os espaços dedicados à conservação da natureza e biodiversidade, o montado, o aquífero do Baixo Tejo/Península de Setúbal e os solos agrícolas de maior valor produtivo.


Mas não menos importante é o último parágrafo das Orientações Gerais

Em qualquer dos casos, o modelo territorial e o desenvolvimento urbano a seguir na envolvente ao aeroporto deverá ser coerente com as políticas prevalecentes de há uns anos a esta parte e que estão reafirmadas no QREN, nomeadamente através da Política de Cidades, que apontam para privilegiar a reabilitação e a renovação urbanas, em detrimento das novas construções.

2008-01-14


Na linha da sombra

Para quem quiser levar os filhos ao teatro, o bando, tem em exibição uma peça direccionada para as crianças dos 6 aos 10 anos,  que se intitula, Na Linha da Sombra. Está em cena até 22 de Março, aos sábados das 10h às 13h. Através desta peça, pretende-se explorar e desenvolver a capacidade criativa da criança e trabalhar a expressão oral, o movimento, a imaginação, o raciocínio e a cooperação. 
O teatro O Bando, fica em Vale dos Barris, Palmela. 
Telefone: 21 233 68 50

2008-01-11

Como já aqui escrevi algumas vezes, uma nova ponte ligando o Barreiro a Lisboa servindo uma linha de carácter suburbano é essencial para uma mobilidade mais harmoniosa na área metropolitana de Lisboa. Com esta nova travessia, é também a modernização da Linha do Sado que está em jogo, e ao a que a nós banheirenses diz respeito, é Lisboa e Setúbal que se aproximam.

Agora esperemos que o Governo jamé mude de opinião sobre a sua localização...
Peço desculpa pelas minhas declarações!
Foi desta forma que Mário Lino demonstrou que, apesar da sua idade, está sempre a aprender.
O aeroporto de Alcochete vai ser uma realidade. Embora não esteja incluída da zona da rede Natura 2000, está situada no seu limite. Situação esta, que poderá ainda ser revista com os ambientalistas. Nesta obra importante, um dos objectivos a não descurar, é o facto, de se ter de encontrar, a maneira de causar o menor impacte possível, pois não podemos abdicar de um ecossistema em prol do progresso, sob risco de perdemos a sua riqueza para sempre. Não se pode ser leviano nas decisões, como foram no passado. Penso, que este processo do novo aeroporto, poderá marcar uma viragem neste tipo de decisões. Nunca se pode fazer qualquer tipo de investimento, sem ouvir o parecer imparcial de pessoas competentes das diversas àreas. 
Estas desculpas só serão aceites, se a política caminhar neste sentido, porque de outra forma, estaremos apenas a adiar a factura, para quando os próximos governantes forem eleitos, pegarem naquele cliché, de culparem os anteriores e o país nunca sair desta ladainha.

2008-01-03

A Banda Sinfónica da PSP vai promover o Concerto de Ano Novo no Fórum Cultural, no domingo, dia 6, às 16 horas, iniciando assim a programação de 2008. Entretanto a programação do café-concerto já está disponível.

2008-01-01

Bom Ano de 2008 a todos os visitantes do blog do banheirense.